Poupaqui

Poupaqui

FARMAIS GUARARAPES

FARMAIS GUARARAPES

DROGARIA BARAK

DROGARIA BARAK

Advocacia Luis Carlos Galhardo

Advocacia Luis Carlos Galhardo

CENTRAL FORROS, CLIQUE E CONFIRA NOSSA PÁGINA

ÓTICA ESTILO

ÓTICA ESTILO

VILLA GRILL II, CARDÁPIO

Laboratório Mastellini

Laboratório Mastellini

ADVOCACIA

ADVOCACIA

OPTICA OCULAR

OPTICA OCULAR

Concorra a prêmios, clique na imagem

CIDINHA LANCHES, DISQUE ENTREGAS

CIDINHA LANCHES, DISQUE ENTREGAS

José Serra é denunciado pela Lava Jato por lavagem de dinheiro e vira alvo na operação



O senador e ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) e sua filha Verônica Allende Serra foram denunciados hoje pelo MPF (Ministério Público Federal) por suspeita de lavagem de dinheiro transnacional. Os dois também são alvos de uma operação da Lava Jato que ocorre de manhã. Estão sendo cumpridos oito mandados de busca e apreensão em São Paulo e no Rio de Janeiro relacionados ao caso.

Em nota, o MPF informa que a denúncia oferecida pela Lava Jato de São Paulo diz que o ex-governador de São Paulo, entre 2006 e 2007, "valeu-se de seu cargo e de sua influência política para receber, da Odebrecht, pagamentos indevidos em troca de benefícios relacionados às obras do Rodoanel Sul".

"Milhões de reais foram pagos pela empreiteira por meio de uma sofisticada rede de offshores no exterior, para que o real beneficiário dos valores não fosse detectado pelos órgãos de controle", diz a nota. O UOL procurou a defesa e a assessoria do senador, mas ainda não obteve resposta até esta publicação.

Em outras ocasiões, o tucano sempre negou participar de atos ilícitos. A procuradoria alega ainda que as investigações demonstraram que José Amaro Pinto Ramos e Verônica Serra constituíram empresas no exterior, ocultando seus nomes, e por meio delas receberam os pagamentos que a Odebrecht destinou a Serra, na época governador de São Paulo.

"Neste contexto, realizaram numerosas transferências para dissimular a origem dos valores, e os mantiveram em uma conta de offshore controlada, de maneira oculta, por Verônica Serra até o final de 2014, quando foram transferidos para outra conta de titularidade oculta, na Suíça", diz a nota. Ainda segundo o MP, a Justiça Federal autorizou o bloqueio de cerca de R$ 40 milhões em uma conta na Suíça.

Segundo o colunista do UOL Jamil Chade, os advogados de defesa de Serra tentaram impedir que as informações da Suíça chegassem aos procuradores brasileiros, o que alongou o processo. De acordo com a denúncia, a Odebrecht pagou ao senador cerca de R$ 4,5 milhões entre 2006 e 2007, que seriam usados pelo tucano para pagar gastos da campanha eleitoral, e mais R$ 23,3 milhões entre 2009 e 2010 para liberação de créditos junto à Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) por conta das obras no Rodoanel Sul. 

O MP alega que "por muitos anos, a Odebrecht relacionou-se com José Serra por meio de Pedro Augusto Ribeiro Novis, executivo da Braskem", que posteriormente tornou-se delator. 

https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2020/07/03/operacao-lava-jato---jose-serra.htm

Compartilhar no WhatsApp! Compartilhar Google Plus

Autor: Arnaldo

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Casa do Suco

Casa do Suco

PASTELMEL

PASTELMEL