Poupaqui

Poupaqui

FARMAIS GUARARAPES

FARMAIS GUARARAPES

DROGARIA BARAK

DROGARIA BARAK

Advocacia Luis Carlos Galhardo

Advocacia Luis Carlos Galhardo

CENTRAL FORROS, CLIQUE E CONFIRA NOSSA PÁGINA

ÓTICA ESTILO

ÓTICA ESTILO

VILLA GRILL II, CARDÁPIO

Laboratório Mastellini

Laboratório Mastellini

ADVOCACIA

ADVOCACIA

OPTICA OCULAR

OPTICA OCULAR

Concorra a prêmios, clique na imagem

CIDINHA LANCHES, DISQUE ENTREGAS

CIDINHA LANCHES, DISQUE ENTREGAS

Saiba quais peixes podem causar a ‘síndrome da urina preta’ que matou veterinária

 

Reprodução Instagram 

Fonte: https://terrabrasilnoticias.com/

Nesta terça-feira (2), veterinária Pryscila Andrade, 31 anos, morreu em decorrência da síndrome de Haff, também conhecida como doença da “urina preta”. Ela estava internada em um hospital de Recife (PE) desde o dia 18 de fevereiro após se sentir mal por conta de ter ingerido peixe.

Estudos científicos apontaram que até o momento, no Brasil, foram relatados casos da síndrome após a ingestão de peixes como arabaiana, tambaqui, badejo, olho de boi, pirapitinga e pacu-manteiga. As informações são do portal Metrópoles.

Segundo os estudos, ainda não foi possível esclarecer o motivo de esses peixes terem se transformado em alimentos tóxicos. Porém, entre as hipóteses, os pesquisadores consideram a possibilidade de má conservação do alimento ou que os animais tenham consumido algum tipo de alga que pode provocar a síndrome.

Os sintomas da doença da “urina preta” podem aparecer nas 24 horas após o consumo do alimento. O principal sintoma é o escurecimento da urina, que pode apresentar cor de café. Outros sinais são dor, rigidez muscular, dormência, perda de força e falta de ar.

Após o diagnóstico, a síndrome deve ser tratada imediatamente, pois pode provocar insuficiência renal e falência múltipla de órgãos, levando a morte.

Compartilhar no WhatsApp! Compartilhar Google Plus

Autor: Arnaldo

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Casa do Suco

Casa do Suco

PASTELMEL

PASTELMEL