Apreensões de final de semana nas unidades prisionais da região


Ocorreram flagrantes com visitas de sentenciados nos municípios de Valparaíso, Lavínia, Irapuru e Riolândia


Neste final de semana, estabelecimentos prisionais subordinados a Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste do Estado (Croeste) frustraram a inserção de objetos ilícitos nos presídios e que chegariam às mãos de sentenciados. As tentativas de driblar a segurança foram barradas durante os procedimentos de revista.

Vale lembrar que os visitantes flagrados são excluídos do rol de visitas e levados à Delegacia de Polícia Civil mais próxima, sem prejuízo de responderem na esfera criminal. Também é instaurado Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade dos presos que receberiam os materiais podendo, ainda, ser instaurados Procedimentos de Apuração Preliminar para apurar supostas responsabilidades funcionais.

Sábado (30 de setembro)
Penitenciária “Luis Aparecido Fernandes” de Lavínia (PII) – A companheira de um sentenciado da unidade foi surpreendida durante a revista ao tentar entrar no local com algo oculto em sua genitália. Indagada, retirou voluntariamente do corpo uma porção aproximada de 160 gramas de substância com cor e odor semelhante à maconha.   A mulher e o material foram encaminhados à autoridade policial para providências da polícia judiciária e excluída do rol de visitas. 

Penitenciária “João Batista de Santana” de Riolândia – Ao tentar visitar o marido que cumpre pena na unidade, uma esposa viu acionar o detector de metais na altura do quadril quando passava pelo aparelho, mas negou que estivesse com a posse de material ilícito. No momento em que estava sendo conduzida à Santa Casa para passar por exame de Raio-X, acompanhada por policiais militares, mudou de ideia e confessou que trazia em sua genitália  01 (um) aparelho de telefonia celular que seria entregue ao esposo. Foram tomadas as providências administrativas.

Penitenciária “Asp. Paulo Guimarães” de Lavínia (PIII) – Duas mulheres foram flagradas, ao tentar visitar os respectivos companheiros na unidade, cada qual com 01 (um) aparelho celular oculto na genitália. Os materiais foram descobertos quando elas passavam pelo aparelho detector de metais, sendo encaminhadas à delegacia local para as providências necessárias.

Domingo (01 de outubro)
Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Valparaíso - Por volta das 10h30 deste domingo, a visitante do sentenciado P.R. da S. foi impedida de entrar na unidade prisional uma vez que, durante os procedimentos de revista, Agentes de Segurança Penitenciária detectaram que havia um invólucro escondido na genitália da visita, pedindo para que ela retirasse o objeto do corpo, o que tornou possível verificar que se tratava de substância esverdeada aparentando maconha. Ela foi presa em flagrante e conduzida pela polícia militar à delegacia. O sentenciado que receberia o material foi recolhido em cela disciplinar onde aguarda decisão da Vara de Execuções Criminais de Araçatuba para possível regressão ao regime fechado.

Penitenciária de Irapuru – Não fossem os procedimentos de revista, 08 (oito) aparelhos de telefone celular teriam sido inseridos na unidade prisional no último fim de semana. Na ocasião, quatro mulheres tentaram entrar no local com 02 (dois) celulares cada, ocultos no órgão genital. Uma delas trazia também 60 cápsulas de medicamento. Diante do ocorrido, foram instaurados procedimentos apuratórios, bem como, apuração preliminar no intuito de apurar possíveis responsabilidades funcionais. Todas foram excluídas do rol de visitas.


Penitenciária de Valparaíso – 01 (um) aparelho celular e erva esverdeada aparentando maconha foram encontrados sob a posse de M.P.K. da C. A, companheira de um sentenciado da unidade. Ao tentar entrar no local, a mulher apresentou nervosismo e, ao ser questionada, negou que trouxesse qualquer material ilícito consigo, inclusive, se dispondo a ser conduzida até a Santa Casa local para exame de Raio-X. No entanto, antes de sair da penitenciária, pediu para ir até o banheiro onde retirou o invólucro com os materiais da genitália envoltos em massa epóxi e fita adesiva. No dia anterior, outras duas mulheres haviam sido surpreendidas ao passar pelo detector de metais, que acionou, apontando que cada qual trazia consigo 01 (um) aparelho celular escondido no órgão genital. As três mulheres foram submetidas a exames na Santa Casa e depois encaminhadas à Delegacia de Polícia Civil para lavratura de Boletim de Ocorrência.









Compartilhar Google Plus

Autor Guararapes Sorriso News

    Blogger Comentario
    Facebook Comentario

0 comentários:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial